Líllian Pacheco

Gestora, Coordenadora Pedagógica e Educadora

Natural da Chapada Diamantina – BA, escritora, educadora, agricultora familiar e criadora da Pedagogia Griô. É idealizadora e coordenadora do Ponto de Cultura Grãos de Luz e Griô, da Escola de Formação na Pedagogia Griô, do Programa Ação Griô Nacional e da Escola de Políticas Culturais. Especialista em elaboração, coordenação e avaliação de projetos de educação, cultura, economia solidária e desenvolvimento sustentável há 25 anos, com prêmios e destaques nacionais.

Márcio Caires

Gestor, Educador e Griô

Iniciado nos saberes de tradição oral por diversas comunidades tradicionais do Brasil, e na tradição Griot por famílias tradicionais da região do Mali, África, nasceu pegado por parteira na pequena cidade de Dom Basílio, sul da Chapada Diamantina – BA. Pesquisador, contador de histórias, fez parte da criação do Projeto Grãos de Luz e Griô e é co-criador da Pedagogia Griô. Articula e mobiliza diversas frentes politicas, com atuação em Conselhos Estaduais e Fóruns Nacionais de cultura e educação na Bahia e no Brasil, com repercussão em Seminários e Congressos na América Latina (Bolívia, Peru e Colômbia), Espanha (Galícia), Vaticano e Mali.

Rosevânia Machado

Educadora e Griô Aprendiz

Educadora Griô e Griô Aprendiz certificada pela Escola de Formação Pedagogia Griô em parceria com o DIVERSITAS-USP, Agente de Cultura na Rede Ação Griô Bahia, Graduada em Biblioteconomia e Documentação pela Universidade Federal da Bahia, Coordena a Biblioteca e a Comissão Acadêmica da Escola de Formação em Pedagogia Griô, desenvolve pesquisas sobre tradição oral e contação de histórias.

Priscilla Martins

Gestora, educadora e griô aprendiz

Neta de sergipanos e filha de Yemanjá, é mãe, contadora de histórias, professora e pedagoga, especialista em Gestão e Coordenação Escolar. Ministra os conteúdos de sociologia da educação entre outros componentes curriculares do curso de Pedagogia na Faculdade Eugênio Gomes – FAEG. Também é griô aprendiz e educadora formada pela Escola de Formação na Pedagogia Griô e já realizou diversas oficinas e mini cursos. Participa e desenvolve projetos sócio educacionais na comunidade remanescente quilombola do Candeal II e desenvolve pesquisas sobre ancestralidade afro-indígena brasileira e processos de inter-relação sócio cultural numa perspectiva de valorização da memória e da tradição oral no espaço formal e não-formal de educação.

Luciana Meireles

Produção executiva, educadora e griô aprendiz

Mulher brincante do Cerrado, contadora de histórias, educadora, produtora cultural, mãe de Inácio e griô aprendiz. Navegou por águas subterrâneas desde Ceilândia, cidade em que nasceu e cresceu, passando pela Universidade de Brasília até às encruzilhadas das chapadas do Brasil profundo, onde encontrou a Escola de Formação na Pedagogia Griô. Brinca a figura “Maria das Alembranças”, aprendendo com a palhaçaria popular, medicinas da floresta, parteiras e benzedeiras, agroecologia e tecnologias livres de comunicação. Com seu pandeiro, acompanha brincadeiras, sambas de coco e joga Capoeira Angola. É cofundadora da coletiva Casa Moringa e trabalha pelo empoderamento feminino dentro da cultura popular.

Tainã Pacheco Caires

Gestor e pesquisador

Jovem Chapadense de Lençóis-BA, Graduando em Bacharelado Interdisciplinar de Humanidades na UFBA. Integrante do Grupo de pesquisa “PERIFÉRICAS” e Pesquisador Bolsista pelo CNPQ-PIBIC na UFBA na área de teorias pós coloniais e decoloniais, desenvolvendo um trabalho de pesquisa sobre a relação entre colonialidade, eurocentrismo e dominação nas periferias do sistema mundial. Músico, produtor musical e instrumentista profissional em Lençóis, com ampla experiência em diversos festivais e produções musicais. É ex gestor da área de música, e hoje é educador do programa de formação de jovens do Grãos de Luz e Griô e Produtor da TiViGriô – WebTV e Cineclube de Jovens de Lençóis. Desde 2017 trabalha na Gestão da Escola de Formação em Pedagogia Griô.

Maria da Penha Teixeira de Souza

Griô Aprendiz e Educadora Griô

Conhecida como Penhinha Teixeira, quilombola de Mituaçú, no município do Conde, Paraíba, Brasil. Educadora Griô e Griô aprendiz da Pedagogia Griô, brincante, contadora de histórias, cantadora de coco e pandeirista.
Gestora, coordenadora pedagógica e educadora do Ponto de Cultura Olho do Tempo.

_______________________________________________

Conselho de Mestras(es)

Mestre Alcides

Escola Amorim Lima CEACA

Alcides de Lima – Mestre de Capoeira e Griô da Tradição Oral pelo Projeto Ação Griô Nacional.

Mestra Doci

Escola Viva Olho do Tempo

Doci dos Anjos – Mestra Griô de Tradição Oral, Idealizadora do Ponto de Cultura Olho do Tempo – PB, representante da Comissão Nacional de Mestras/es Griôs do Brasil.

Dona Cici

Fundação Pierre Verger

Ebomi Cici (Nancy de Souza),  é Mestra Griô, contadora de histórias, cuidadora e participante da Fundação Pierre Verger.

Nádia Akawã

Aldeia Tucum – Tupinambá de Olivença – BA

Liderança Indígena, Mestra Griô da tradição oral, Conselheira espiritual e licenciada em Artes e Línguagens/UNEB.

Cacique Ramon

Aldeia Tucum – Tupinambá de Olivença

Educador, artesão e agricultor, pertence a Aldeia Tukum Território Indígena Tupinambá de Olivença que está localizado em Ilhéus, Sul da Bahia.

Kujà Iracema Gã Teh Nascimento

Liderança do Povo Kaingang

Mestra Griô, Guardiã da sabedoria da medicina tradicional, conselheira das mulheres da comunidade Kaingang Mrür Tay, Porto Alegre, RS.

Dona Val

Mestra Griô Parteira e Erveira

Valdeci Santana possui forte conhecimento sobre as plantas e medicinas naturais. Também é Mestra em alimentação Natural e macrobiótica e conselheira espiritual.

Mestre Elias

Mestre Griô Bonequeiro

Elias Bonfim, é Mestre Griô, Bonequeiro, Mamulengueiro Tradicional, Ator e Diretor Teatral, Líder comunitário e Fundador do Centro Cultural Mamulengo, Salvador/BA.

Fatinha do Jongo

Professora e Guardiã da Memoria Jongueira

Maria de Fatima da Silveira Santos, é uma mestra griô Jongueira atuante a mais de quarenta anos na preservação da história, tradição e memória da dança do jongo de Pinheiral – RJ.

Mestre Bule Bule

Mestre da Cultura Popular

Repentista, cordelista, sambador, tiraneiro, forrozeiro, brincante, enfim, Mestre. Este é o Mestre Griô Bule-Bule, o mestre da cultura tradicional da Bahia, do Nordeste, do Brasil.

Martinha do Côco

Mestra Griô de Samba de Côco

Natural de Pernambuco, em Brasília tornou-se uma das principais referências em cultura popular. Ela resgata e adapta aos novos tempos a tradição da contação de histórias e da transmissão do conhecimento pela oralidade e pela música. 

Mestre Prudêncio

Mestre Griô

João Carlos Agostinho Prudêncio é natural de Rio Pardo (RS), escritor, jornalista, produtor cultural e ativista de movimentos sociais. Coordena ações culturais em Rodas de Troca de Saberes e Fazeres da ONG Movimentação

Fátima Freire

Educadora e Psicopedagoga – PE/SP

É autora do livro “Quem Educa Marca o Corpo do Outro”, onde ela destaca o processo de construção afetiva e humanizada das relações entre educador e educando.

Sumário Santana

Viola de Bolso

Poeta cantador, aprendeu a tocar e cantar ouvindo os violeiros das Folias de Reis desde os seus doze anos e hoje canta a vida. Um ator político em que a cultura é a sua arma de luta. 

_______________________________________________

Comissão Acadêmica

Gabriela Nobre Bins

RS

Mulher, mãe e professora rede pública a mais de 20 anos. Educadora da rede municipal de Porto Alegre, licenciada em Educação Física e Ciências Sociais pela Ufrgs, Doutora em Ciências do Movimento Humano pelo PPGCMH-ESEFID-UFRGS. Educadora Griô formada nos grupos de formação da Pedagogia Griô de São Paulo e Porto Alegre.

Luciana de Araújo Pereira

SSA

Possui graduação em Licenciatura em Letras Vernáculas pela Universidade Estadual de Feira de Santana (2004), especialização em Metodologia do Ensino de Língua Portuguesa (2005) pelo Instituto Sul Brasileiro de Pós Graduação e Extensão, mestrado em Estudos Linguísticos pela Universidade Estadual de Feira de Santana (2014) e doutorado em Educação e Contemporaneidade – PPGEDUC, em andamento, pela Universidade do Estado da Bahia. Atuou como professora substituta na Universidade do Estado da Bahia (DCHT-XVI, campus Irecê/BA), membro do grupo de pesquisa DIVERSO – Grupo de Pesquisa Docência, Narrativas e Diversidades, pesquisadora cadastrada no núcleo de pesquisa NUDES/UEFS- Núcleo Interdisciplinar de Estudos sobre Desigualdades em Saúde.

Rhaul de Oliveira

SP

cerratense, nascido em Goiás. Possui bacharelado em Ciências Biológicas, pela Universidade de Brasília, mestrado em Toxicologia e Ecotoxicologia pela Universidade de Aveiro e doutorado em Biologia e Biociências Aplicadas pela Universidade de Aveiro com períodos sanduíche na Wageningen University (Holanda) e no Asian Institute of Technology (Tailândia). Possui ainda três pós-doutorados o primeiro na Universidade de Brasília (2014-2017), segundo pela Universidade de São Paulo USP (2017-2018) e pela Universidade de Campinas UNICAMP, com período sanduíche na Helmholtz-Centre for Environmental Research – UFZ, Alemanha (2018-2021). Atualmente é Professor Colaborador da Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Tecnologia. Trabalha no Laboratório de Ecotoxicologia e Genotoxicidade (LAEG). Tem vasta experiência no uso do peixe-zebra (Danio rerio), dentre outros organismos modelo, para avaliação de poluentes ambientais derivados da mineração, agricultura e esgoto doméstico e industrial. Tem dezenas de artigos em revistas nacionais e internacionais. Faz parte do conselho consultivo da Sociedade Brasileira de Ecotoxicologia (SBE) e é membro da Society of Environmental Toxicology and Chemistry (SETAC). Integra o Coletivo ECOS do caminho onde contribui com desenvolvimento de atividades no noroeste mineiro, incluindo O Caminho do Sertão (2015), Conselho Consultivo do CRESERTÃO (2016) e a Mostra Sagarana de Cinema – CineBaru (2017-2021). Possui também especialização em Pedagogia Griô e tem interesse em pesquisas e práticas inovadores em educação comunitária, científica e descolonizadora.

Vanderlei de Paula Gomes

RS

Professor de artes da rede municipal de Porto Alegre e ativista de grupos sociais. Graduado em Teatro e Mestre em Geografia. Músico autodidata, morador da zona norte da região metropolitana de Porto Alegre, articulo grupo de maracatu e de hortas comunitárias. Acompanho a pedagogia griô desde o ano de 2008, na Ação Griô Nacional. Atualmente caminho junto a Mestre Chico, meu mestre de samba de roda, da zona norte de Porto Alegre. Como quilombola administro as tradições de minha família, na serra gaúcha onde somos o Quilombo da Serra. Região onde estamos recuperando costumes e trabalhos com a terra que nos foram passados pelos nossos mais velhos.

Silvania Francisca de Jesus

SP

Formada em Letras Português/Espanhol, Pedagogia, pós em Educação Infantil e Alfabetização, pós em Educação e Relações Étnico Raciais.

Juliana Andréa Batista

SP

Educadora aprendiz griô e mestre em educação do campo, atuo em processos educativos com foco em inclusão socioprodutiva de agricultores familiares e povos e comunidades tradicionais.

Eliene de Oliveira Aleixo

SP

Professora das séries iniciais do ensino fundamental na rede municipal de São Paulo. Sou Aprendiz griô no CEACA, com Mestre Alcides de Lima e ingressei no Programa de Pós-Graduação Humanidades, Direitos e Outras Legitimidades no Diversitas-USP.